Está desempregado? Então, aprenda a viver com menos.


Milhões de pessoas ao redor do mundo passam por essa situação, muitos problemas acompanham essa fase, o impacto alcança áreas delicadas e importantes de nossas vidas, amizades e família Portanto é necessário muito cuidado ao lidar com essa situação, como se não bastasse a pressão de um desemprego, junto trará outro desafio, o desafio de viver com menos. Normalmente quando se esta trabalhando, não nos preocupamos com as despesas, não há a preocupação de economizar, mas no caso de ficar desempregado as despesas continuam as mesmas, e a receita não.
Devemos quando passamos por essa situação simplificar nossas vidas, ao procurar um novo emprego nos tornamos pessoas ansiosas, devemos aprender a viver com menos em qualquer situação quanto mais desempregado. Nessa situação é fundamental que a família (marido, esposa, amigos e filhos) apoie a pessoa que passa por essa situação, lembre-se criticas não ajudaram em nada nessa hora.
Em geral, ao sentir-se impotente diante das dificuldades, o marido cobra o apoio da mulher (vice versa). Mas como ela também está angustiada com a situação, passa a exigir uma atitude maior dele. Para o homem está nesta situação é sempre mais difícil, pois existe uma cobrança machista da sociedade, já que a esposa em alguns casos continua trabalhando e terá que suprir todas as necessidades financeiras sozinha, enquanto o marido fica em casa. É comum nesses casos haver fortes crises no relacionamento, e que infelizmente em muitos casos acabam no divórcio e por consequência o desmantelamento da família.
O desemprego traz consigo sentimentos ruins que afetam a saúde física e psicológica, o medo, a ansiedade, a insegurança e a diminuição da auto estima. Isso acaba se agravando com o passar do tempo, e pode atingir todos os membros da família. Portanto é preciso que haja muita união familiar e principalmente paciência com a pessoa desempregada, juntos devem superar a situação e evitar a todo custo que acabe com a união familiar.
As pessoas desempregadas tornam-se pessoas nervosas, perdem a calma com facilidade, sentem-se inúteis, preocupam-se constantemente com as contas do final do mês, que com essa pressão, a paciência vai embora. Tornam-se uma pessoa mais sensível e muito ansiosa pela falta do dinheiro e pelo sentimento de ser um inútil. A perda do emprego obriga a família a se adaptar a mudanças financeiras e com isso se torna uma relação muito frágil, basta um comentário errado na hora errada para acabar tudo em um divórcio.
Em geral, ao sentir-se impotente diante das dificuldades, o marido cobra apoio da esposa, e a esposa por sua vez por se sentir angustiada com a situação passa a exigir uma reação maior do marido.
Nesse momento é importante que a mulher ou o marido adote uma postura de dar força um ao outro e não permitir que nenhuma briga seja instalada pelo nervosismo de ambos. É preciso que haja uma compreensão que a crise é pela incerteza quanto ao futuro, não por causa da família. Por isso é sábio que não deixe mágoas pois muitos dos casamentos acabam logo após a parte desempregada se estabeleça empregado novamente, normalmente nutrem o pensamento de que só tem valor quando se tem dinheiro.
Portanto devemos num momento delicado desses persistir num diálogo e compreensão entre todos os membros da família. É importante se ter a consciência de que após passar a situação tudo voltará ao normal; e não é sábio deixarmos que crie magoas ao passar pelo tempo de dificuldades.
A mulher deve tentar não fazer cobranças, e o homem deve entender que não adianta descontar todo o seu nervosismo na família. Todos devem compreender a situação de tensão em que vivem, juntos se ajudarem em diminuir os gastos, e aqueles que têm condições devem ajudar a suprir as necessidades de todos.
Se perceber que a pessoa desempregada se entregou, desistiu, que não está fazendo nada para mudar a situação dela, procure não critica-lo, cuidado com as sugestões, tente ser compreensivo, e dê tempo ao tempo. Lembre-se que é uma situação passageira, e que a qualquer momento se reverterá e o que deve ficar nessa história é o amor. Cuidado com pensamentos errados que podem levá-lo a abandonar a pessoa desempregada por achar que é um peso na sua vida.
“Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” (Mateus 6: 34)
Jesus não está dizendo que devemos ignorar os problemas, no entanto preocupar-se com o que poderá acontecer amanhã só vai servir para aumentar nosso estresse de hoje. A realidade é que temos muito pouco controle sobre o que pode acontecer amanhã, quer coisas ruins ou boas. Se somos cristão são nesses momentos que nossa fé é colocada a prova e sabermos se verdadeiramente temos ou não fé em Deus?
É sempre mais fácil falar o que fazer, o difícil é manter a calma e raciocinar quando nossas emoções estão a flor da pele, porém não há outra alternativa a não ser se controlar, lembre-se que muitas coisas ruins que pensamos que irá acontecer, acabam não acontecendo de fato. Devemos chegar a conclusão que não devemos ficar preocupados antes do tempo, sempre nessas situações lembro de Elias que ficou escondido no deserto por um longo tempo e Deus na sua misericórdia o alimentava diariamente, isso aconteceu comigo como relatei no inicio do livro, quando deixei de me preocupar com amanhã tudo ficou mais fácil e claro, de uma forma milagrosa comia e bebia em todas as minhas refeições, em certos momentos tinha na minha mesa sem saber como algumas coisas que muitas mesas de muitas pessoas jamais foram postas, vi com meus olhos Deus providenciar tudo que precisava, nunca faltou nada, creio que isso aconteceu por ter confiado nele naquele momento. Talvez fosse isso que Deus queria com a situação, mostrar que ele tem o controle de tudo e não nós, a sensação de vermos Deus cuidar de nós é algo indescritível, sou muito grato a Deus por ter passado por essa situação, palavras que jamais diria naquele momento.
Ao concentrarmos no problema do dia conseguimos raciocinar melhor, e o estresse diminui muito.
Se pergunte e depois análise suas respostas.
1. O que me da o maior medo?
2. Quais são as chances de se tornar realidade em sua vida?
3. Gasto muito tempo me preocupando com que pode ou não acontecer?

Nesse momento é fundamental aprendermos a viver com menos, talvez não seja tão menos assim, talvez seja só o suficiente para aquele dia.
“6 Mas é grande ganho a piedade com contentamento. 7 Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. 8 Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.” (1 Timóteo 6: 6 á 8)
Ficar satisfeitos significa limitar os desejos e ficarmos felizes quando as necessidades diárias são supridas, se você ficar empenhando-se para para satisfazer os seus desejos de ter mais não irão lhe ajudar em nada, apenas servirá para deixa-lo triste com a situação.
“mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça doutras coisas, entrando, sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.” (Marcos 4: 19)
A nossa preocupação fica clara quando analisamos a verdade dos fatos, via de regra a nosso medo vêm porque não estávamos a viver com o necessário, o desejo de manter o padrão anterior nos faz aumentar a ansiedade. Devemos atentar se não são suas atitudes que fazem as coisas parecerem mais insuportáveis do que realmente são e não a situação em sí. Em situações como essa, devemos deixar de pensar como gostaria que fosse e pensarmos o que Deus quer nos passar como lição. Devemos ficar grato e satisfeito com que Deus providência para nos mantemos firmes a cada dia, com certeza tornará a ser uma pessoa muito mais equilibrada e feliz com que têm.
“Se as suas necessidades de hoje foram supridas, porque então não acreditar que amanhã elas também serão.”
Ter uma atitude altiva e correta é a melhor forma de enfrentar o problema, o desafio de viver com menos e providenciado direto de Deus nos faz mais próximo Dele.
Lebre-se que muitos pais abandonam suas famílias nesse momento, mantenha-se firme e se tornará um pai ou uma esposa muito melhor depois que tudo passar.
Nessas ocasiões devemos aprender a viver com menos. Para se viver com menos exige esforço e disciplina, um bom planejamento financeiro lhe ajudará muito.
“Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular as despesas, para ver se tem com que a acabar?” (Lucas 14: 28)
Veja o dinheiro que possui antes e inclua suas reservas, se houver, inclusive o que receberá do acerto da empresa que trabalhou, coloque junto os salários dos membros da família e outras possíveis entradas e comece a organizar-se.
Não se esqueça do dizimo, não é porque você está desempregado que deva deixá-lo de fora, fazer isso é como dar um tiro no próprio pé.
Separe conjuntamente suas despesas atuais e futuras desta forma terá uma visão clara da sua real situação, assim poderá com um pouco de criatividade minimizar a falta de recursos, e lhe ajudará a definir prioridades de pagamento e onde poderá economizar, nesse momento é preciso ser frio e cortar o que pode ser cortado, não se sinta fragilizado se deverá tirar seus filhos de um bom colégio e colocá-los em um mais barato ou até mesmo em um colégio publico, isso pode soar como algo muito ruim mas as vezes se faz necessário.
Mude seu jeito de comprar, busque por marcas de produtos que sejam mais baratos, por cupões de descontos, ofertas em supermercados que têm promoções tipo dois produtos pelo preço de um, uma dica importante é você planejar seu cardápio da semana que estejam de acordo com as ofertas disponíveis naquele momento.
Em vez de comprar pratos já prontos opte por fazê-los em casa. Aproveite os produtos de da estação, eles normalmente estão mais baratos e se possível faça um estoque deles. Sempre que possível compre por atacado, mas cuide com o excesso, deve-se estar atento aos prazos de validade.
Reduza gastos com roupas e calçados comprando direto do fabricante, outlets e pontas de estoques, fique sempre atento pois muitas vezes as melhores ofertas estão em outras cidades ou bairros mais periféricos. Procure fazer compras em menor frequência.
Procure fazer um orçamento onde lhe dará a visão das contas que deverão ser pagas de imediato e as que serão pagas no decorrer do mês. Assim terá uma visão mais clara de quanto poderá gastar quando for ao supermercado, assim poderá ter a informação de que não pode comprar algo naquele momento e deixá-lo para o mês seguinte, entenda que ao colocar no papel fará toda a diferença.
Pergunta-se sempre antes de comprar. Preciso mesmo disso? E se a resposta for sim, busque alternativas de alugar, de comprar um usado ou de uma marca mais barata.
Se você fizer isso em coisas pequenas não terá problemas em fazer a mesma coisa com itens de maior valor.
Seja pratico em suas decisões, se possuem dois carros, venda um, assim fará caixa para as despesas e economizará gasolina e gastos com documentação, quando dois forem sair ajustem a viagem de forma a satisfazer ambos, nem que um tenha que terminar o trajeto de ônibus ou metro, marque se possível o retorno para casa em um ponto e horário mais apropriado.
Saiba como fazer um orçamento simples e muito eficiente.
1. Escreva suas despesas mensais fixas durante um mês, faça o registro com gastos com alimentação, aluguel, financiamento, água, luz, prestações e assim por diante, para as despesas anuais divida o valor por 12 para obter o valor mensal.
2. Organize suas despesas em categorias (alimentação, moradia, transporte, etc…).
3. Determine quanto de suas despesas deverão ser usados para cada categoria.
4. Escreva a renda liquida (sem impostos) de toda a renda dos membros da família e compare o total da renda com as despesas.
5. Todo o mês separe por categoria a quantia necessária para pagar as despesas, se o valor estiver em dinheiro separe o boleto e o valor e coloque em um envelope com o nome da categoria em questão.
6. Cuidado com os cartões de crédito, se for usá-los, use com responsabilidade, muitos dos orçamentos falham por causa da facilidade que se tem em comprar através deles.
Depois de feito o seu orçamento é só comparar a receita com as despesas, checar o saldo se positivo ótimo, se não é só ajustar o que deverá ser pago, sempre levando em conta a prioridade.
Instale o programa para administrar suas finanças em seu computador, faça o download gratuitamente diretamente do nosso site: Clique aqui
Cuidado com a depressão, muitos ao perder seu emprego ficam retraídos e acabam se isolando das pessoas.
Procure nessas situações compartilhar com os membros de sua família, amigos ou com os irmãos de fé, todos poderão lhe ajudar a sair ileso dessa situação.
No mundo atual é impossível haver segurança, todos nós estamos sujeitos a passar por experiências como essa, de um empregado a um patrão que tenha sua empresa falida, esses ainda levam consigo muito mais gente ele e problemas. 

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Traduzido Por: Template Para Blogspot